Precavido - Acompanhe a evolução do vírus Influenza A H7N9 - Precavido

PRECAVIDO
Acompanhe a evolução do vírus H7N9
Ir para o conteúdo
vírus H7N9
O vírus influenza A (H7N9) é um subtipo de vírus influenza A de origem aviária. Esse subtipo viral (H7N9) não havia sido detectado circulando em outro animal ou infectando humanos até Março de 2013 quando foram detectados os primeiros casos de infecção humana na China.
Desde então, infecções em aves e em humanos têm sido observadas. Existe uma grande preocupação com relação à infecção humana por esse subtipo A (H7N9), pois a maioria dos pacientes acometidos desenvolve gripe com complicações graves, com evolução para óbito em cerca de um terço dos casos.
Pesquisadores indicam que o H7N9 está mais próximo de adquirir adaptações para ser transmitido entre humanos e, por isso, têm potencial pandêmico. Também são necessárias poucas cópias do vírus para que as infecções ocorram.
A equipe de pesquisadores avaliaram a capacidade de replicação, patogenicidade e transmissibilidade da cepa H7N9 isolada em casos fatais em humanos.
Eles demonstraram que o vírus se replicou de forma eficiente em células humanas, de camundongos, de furões e de primatas não-humanos. Eles viram também que a quantidade necessária de vírus para iniciar as infecções é pequena, o que aumenta o seu poder de transmissão.
A situação do H7N9 hoje (outubro/2017) ainda é da transmissão dar-se por contato por aves infectadas. Mas no entanto a espectativa é que o vírus passe em breve, após uma mutação, a transmitir-se diretamente a seres humanos e com isso passar de modo sustentável essa transmissão, causando uma nova pandemia, a qual estima-se, será muito pior que a de 2009, sendo mais parecida com a terrível pandemia de 1918.
O número de casos atual é de 1589 casos confirmados em seres humanos, sendo que destes, 616 morreram (isso desde fevereiro/2013). (informação obtida na fao.org)


Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal